A Utilização das Essências Florais ZED - 2
Florais ZED

 Início >> Todos os Produtos >> Essências Florais >> Fórmulas Compostas >> A Utilização das Essências Florais ZED - 2

A Utilização das Essências Florais ZED - 2

Florais ZED

O QUE SÃO OS FLORAIS ZED - A Utilização de Essências Florais ZED - 2 (Francisco Godinho - 04/11/2006)

As essências florais são energia pura que a Fonte da Vida põe ao serviço do homem.
Florais ZED são a mágica energia das flores a zelar pela sua Saúde e bem-estar.

Nota: Os produtos, técnicas, terapias e informações deste sítio não substituem a consulta do seu médico ou especialista!

OS TESTES PARA AFERIÇÃO DE RESULTADOS

OS TESTES PARA AFERIÇÃO DE RESULTADOS

'O Amor é composto de nove ingredientes: [...] Paciência. Bondade. Generosidade. Humildade. Delicadeza. Entrega. Tolerância. Inocência. Sinceridade. Estas coisas compõem o Bem Supremo, estão na alma do homem que quer estar presente no mundo e próximo de Deus.'
Henry Drummond

Sendo a sintonização de cada essência floral um passo crucial na linha que actualmente vimos desenvolvendo, ela não constitui por si só o garante de que o fim a que se destina está devidamente definido. Para que tal ocorra, necessário se torna o recurso a uma ou mais formas de avaliação. Pessoalmente, como aliás já anteriormente ficou referenciado, optámos por nos socorrermos do auxílio de aproximadamente uma dezena de terapeutas holísticos, cada um deles com determinadas características que permitem que os consideremos na categoria dos sensitivos. Todos somos, sem excepção, terapeutas de Reiki e de florais, se bem que alguns disponham de outros recursos na área das terapias complementares.

Para lá daquilo que nos une, constituímos um grupo bastante heterogéneo, em que cada um de nós se apoia em distintas formas de diagnóstico, que vão desde os aparentemente mais simples e rápidos aos mais elaborados e morosos. No grupo que integramos, para a selecção de florais a prescrever, há quem recorra à triagem de frascos[1], à escolha duma fotografia[2], à radiestesia[3], à cinesiologia[4], a um questionário[5], a uma entrevista[6], bem como a vários outros métodos.

Da mesma forma, raramente a prescrição é isoladamente considerada, sendo quase invariavelmente acompanhada por algumas sessões de tratamento de Reiki ou de qualquer outra terapia vibracional de que o terapeuta em causa entenda dever socorrer-se. É dessa diversidade e igualmente da semelhança entre os vários resultados obtidos que vamos elaborando uma lista de aplicações que tende a crescer, mas em que apenas as confirmações e validações, se bem que em menor número, nos dão efectivamente a garantia de estarmos no caminho certo. Os alvitres que nos chegam acerca de novas aplicações possíveis para determinada essência floral são para nós de grande valia, pois permitem alargar os horizontes da investigação em curso, ao passo que as validações e confirmações, após terem atingido um número suficientemente convincente, nos concedem uma maior certeza quanto à veracidade dos princípios enunciados.
 

___________________________________

[1] A técnica da triagem de frascos é verdadeiramente simples e apenas o nosso cepticismo poderia constituir um entrave a que a ela recorramos com frequência. não deixa de ser deveras interessante que, antes ou após uma entrevista, cuidada e demorada, como à compreensível, confrontarmos a prescrição baseada no diagnóstico recolhido com o resultado da escolha cega de frascos efectuada pelo paciente: invariavelmente, coincidem os principais pontos em que o tratamento se irá basear. Os resultados obtidos junto de crianças pequenas são ainda mais impressionantes que junto dos adultos.

[2] No teste das fotografias, recorre-se à imagem da flor usada para a confecção da essência base e o paciente escolhe a nosso convite duas a três das quais gosta mais e duas ou três que lhe são menos atraentes. Por norma, tanto umas quanto as outras correspondem às essências florais de que está a necessitar mais nesse momento. Os resultados deste teste são tanto mais precisos quanto o grau de 'cegueira' introduzido, ou seja: o paciente não deverá saber previamente qual a utilidade do floral que corresponde a cada uma das fotografias de flores.

[3] No teste radiestésico, recorremos geralmente a um Pêndulo, que poderá ser constituído por uma peça mais ou menos pesada em vidro, cristal, madeira, metal, ou qualquer outro material, suspensa por um fio ou corrente. Pretende-se obter do Pêndulo uma resposta de acordo com um esquema previamente convencionado e que indicará se um determinado floral é o mais indicado para a pessoa em causa. Para tanto, o terapeuta, aqui também radiestesista, deverá estar devidamente centrado e ter em mente tanto o paciente e a sua cura, quanto a essência floral que pretende testar. A essência poderá ser representada pelo frasco propriamente dito que a contém, bem como por qualquer testemunho, tal como uma amostra com uma gota da essência, a imagem da flor, o nome ou a referência do floral, etc.

[4] O teste muscular cinesiológico é uma forma dita de diagnóstico que, com base na força muscular oferecida pelo paciente face à essência floral que pretendemos aferir. Os resultados podem obter-se de variadas formas, de acordo com a preferência pessoal de cada terapeuta.

[5] Um questionário é um dos meios de diagnóstico mais ou menos exaustivos a que podemos recorrer. A sua filosofia poderá basear-se em arquétipos, caso em que cada pergunta ou afirmação a validar coincide com uma essência específica. Alternativamente, poderá ter por base os sintomas, que após uma especialização crescente, apontará para essências florais específicas.

[6] Este método, sem dúvida o mais moroso, constitui na nossa opinião aquele que oferece ao terapeuta um quadro mais cabal do estado emocional do paciente, permitindo retirar daí as ilações tendentes à selecção das essências florais a prescrever.

A PRODUÇÃO DUMA SOLUÇÃO FINAL

A PRODUÇÃO DUMA SOLUÇÃO FINAL

Sendo a Solução de Stock enviada aos nossos colegas terapeutas apenas um estádio intermédio a partir do qual é criada a Solução Final, apenas nos é possível aferir com rigor a composição de cada frasco até aquela etapa. Na última, cada terapeuta tem liberdade de recorrer ao conservante que mais desejar, pelo que alguns de nós utilizam álcool etílico a 96% (apenas duas colheres de chá por cada 20 mililitros de água), outros recorrem ao vinagre de cidra, ao brandi, à aguardente, ao conhaque, em distintas proporções, a fim de preservar a solução que contém as essências florais e que se destina à toma propriamente dita pelo paciente.

Pessoalmente, produzimos a Solução Final a partir da essência contida em frascos de Solução de Stock, vertendo para um pequeno frasco munido de conta-gotas três gotas de cada uma das essências intervenientes por cada dez mililitros da capacidade daquele. No final adicionamos-lhe água da fonte na proporção de dois terços da capacidade  de brandi suavizado com licor de cereja (o que garante a preservação do líquido por um mês), seguindo-se-lhe uma agitação de 100 impulsos verticais. Caso estejamos a produzir uma Solução Final destinada a ser usada em situações de emergência, usamos três gotas por cada dez mililitros e juntamos metade de água a metade da solução de brandi com licor de cereja e agitamos 250 vezes. Note-se que nenhum dos nossos colegas recorre a este método, pois foi determinado que cada um actuaria com os florais Florais ZED exactamente da mesma forma como procede com os restantes.

OS TESTES EFECTUADOS POR SENSITIVOS

OS TESTES EFECTUADOS POR SENSITIVOS

Consideramos aqui como sensitivos a nós próprios e todos os colegas terapeutas que participam no projecto de desenvolvimento desta linha floral. Tal não é feito de forma infundamentada mas sim porque cada um de nós, numa ou noutra vertente, possui características que transcendem aquelas que são tidas como comuns, nomeadamente ao nível dos sentidos extracorpóreos. Pelo facto de possuirmos uma sensibilidade de certo modo mais apurada que os demais, ao tomarmos essências florais, os seus efeitos aparentemente fazem-se sentir mais rapidamente e com maior acuidade.

Uma vez que alguns de nós trabalham com essências florais há já vários anos, para além de que procuramos tanto quanto possível estar centrados a maior parte do tempo, porque estamos no caminho do auto-conhecimento através da espiritualidade, no conjunto sentimos que estamos preparados para tirar partido duma maior agudeza dos sentidos e indagarmo-nos interiormente acerca das alterações verificadas após a toma dos florais que estamos a testar.

Primeiro efectuamos um teste 'cego', em que apenas quem prepara a Solução de Stock conhece realmente o seu conteúdo e cada um de nós anota as alterações comportamentais ou sensoriais por que pensa ter passado. Esta fase decorre ao longo de cerca de quinze dias e depois trocamos informações acerca dos resultados e daquilo que se pensava vir a obter. Depois disso, cada elemento do grupo procura percepcionar com maior precisão os efeitos registados pelos outros. Com algumas nuances, acabamos por definir desta forma as áreas mais prováveis de actuação de cada essência floral testada.
 

OS TESTES EFECTUADOS COM PACIENTES

OS TESTES EFECTUADOS COM PACIENTES

Após o grupo de controlo ter definido as linhas mestras de actuação de cada floral, procuramos testá-lo junto de pacientes cujo histórico seja bem conhecido e cujas características se enquadrem naquelas que o floral parece apontar.

Esta fase tende a prolongar-se por vários meses, pois por vezes torna-se difícil encontrar pacientes em número suficiente para chegarmos a resultados mais conclusivos. Dessa forma, vamos anotando os resultados obtidos e cruzando informação até que possamos com segurança determinar as principais áreas de actuação de cada uma das essências florais obtidas e testadas.

Quando uma essência floral é testada pelo nosso grupo de terapeutas e por um número significativo de pacientes e os resultados obtidos são concordantes entre si, são-lhe então atribuídas as características mais marcantes. Mesmo assim, este processo ainda não é definitivo, uma vez que várias das essências parecem produzir resultados muito semelhantes entre si, sendo no entanto difícil destrinçar quais as circunstâncias em que uma ou outra está mais apta para dar uma resposta eficaz.
 

A CONSOLIDAÇÃO DOS RESULTADOS OBTIDOS

A CONSOLIDAÇÃO DOS RESULTADOS OBTIDOS

Um passo fundamental e que para nós se reveste de primordial significado é precisamente a recolha e análise dos resultados obtidos pelos vários terapeutas do grupo de experimentadores, tanto com eles próprios, como com os seus pacientes. Os resultados são por nós recolhidos, coligidos, cruzados e procedemos então à 'redacção final' do repertório referente à essência floral em causa.

Como anteriormente temos tido oportunidade de referir, toda esta linha floral está em contínua evolução, por esse facto, o termo 'redacção final' é muitíssimo relativo. Não queremos no entanto deixar de ilustrar aqui alguns dos tópicos que já estão contidos no nosso repertório de essências florais, ou que contamos que o venham a integrar. Com tal intuito, iremos aqui reportar-nos apenas aos exemplos tratados sob o título 'A SINTONIZAÇÃO DAS ESSÊNCIAS'.

Sob o título 'A SINTONIZAÇÃO DUM FLORAL', foi feita referência a três essências com características muito semelhantes. Eram elas a ZD021, o 'Copo de Leite', a ZD102, o 'Jarro dos Campos', e a ZD264, o 'Antúrio'. A prática continuada da utilização das duas primeiras já permitiu comprovar que de facto ambas são de grande utilidade nas situações referidas de ambiguidade entre sexos ou confusão quanto ao género, sendo que a primeira, o 'Copo de Leite', se presta mais à abordagem de casos em que a punição e a repressão dos instintos se contam entre os principais sintomas, ao passo que a segunda, 'Jarro dos Campos' tem dado melhores resultados aquando da prática de desmandos sexuais. A terceira, o 'Antúrio', está também já praticamente na fase de ser integrada no nosso repertório, uma vez que tem dado óptima resposta em todas as situações em que foi utilizado em que os sintomas referidos se faziam acompanhar de atitudes machistas.

O composto floral X57, 'Intuição', a que fizemos referência sob o título 'A SINTONIZAÇÃO DUM COMPOSTO', que começou a ser testado no início de 2003, tendo fornecido resultados bastante promissores, constituindo uma tónica comum as referências a um despertar de certa forma mais activo, ou melhor, a um ouvido mais atento para a nossa voz interior, pelo que rapidamente passou a integrar o elenco dos compostos disponíveis no repertório.

Sob o título 'A SINTONIZAÇÃO DUM EMERGENCIAL', fizemos referência a dois compostos destinados a fazer face a situações de emergência. Eram eles o ZD112, ou U01 – 'Aliança Prodigiosa', e o ZD123, U02 – 'Um Dois Três', e já ambos se encontram no repertório há bastante tempo.

No que concerne aos florais mais recentes, quer individuais, quer sob a forma de compostos, ocasionalmente chegam-nos notícias de outros casos em que os resultados obtidos foram brilhantes, mas alguns dos exemplos dados ainda são tão isolados que não podem ser tidos por nós em conta se quisermos manter a pretensão de apresentar um trabalho sério e eticamente irrepreensível, razão pela qual eventualmente apenas virão a integrar o repertório daqui a pelo menos um par de anos.
 

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO

'Adoecemos quando nos desviamos do caminho previamente traçado pela nossa Alma. As essências florais dão-nos a mão e ajudam-nos a regressar à rota conveniente.'
F. G.

Eis que estamos chegados ao final deste ensaio, ao longo do qual procurámos pôr a nu não apenas a nossa postura e desempenho prático na área da sintonização e sistematização, mas também na investigação de outras linhas e sistemas florais. Paralelamente, não quisemos deixar de perspectivar a nossa análise na qualidade de terapeutas cuja actuação pretendemos que seja tão holística quanto a nossa intuição, o engenho e a arte nos permitirem.

Procurámos testemunhar que, ao longo destes quase seis anos de assídua e diligente recolha e investigação na área da sintonização e sistematização de essências florais, uma grande parte do trabalho de fundo já se encontra realizado, envolvendo nomeadamente o tratamento amadurecido e documentado do nosso repertório de essências florais, estando nós actualmente empenhados na produção de documentação de acesso restrito aos alunos dos nossos cursos de terapia floral e a terapeutas que decidam aderir ao número crescente de utilizadores da presente linha de essências florais Florais ZED.

Contamos que este pequeno ensaio venha preencher uma lacuna na área em que se insere e que o relato dos procedimentos algo singulares que são nosso apanágio possam patentear o quão vasto é o rol de soluções possíveis na produção prática de essências florais.

É nossa convicção que muito fica ainda por dizer, pois este é tão-somente o primeiro passo no desvelar do manto que ainda cobre esta vasta área de actuação. Pelo nosso lado, estamos convictos de que o mais importante de todos os ingredientes a que recorremos é de facto o amor, a intenção amorosa e compassiva colocada em cada um dos pequenos e dos grandes actos de criação e de entreajuda. Fazemos votos de que tenhamos conseguido produzir um testemunho adequado às necessidades dos nossos colegas terapeutas.

Temos consciência de que apenas o passar do tempo e a utilização continuada de cada uma das nossas essências florais poderá permitir que cheguemos a resultados mais conclusivos. Até lá, e para lá desse momento, aguarda-nos um labor continuado e paciente, tarefa essa na qual estamos profundamente apostados.
 

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA

AUSTRALIAN Bush Flower Essences. Porto Salvo: Dieticofarma, [S. d.].

BACH, Edward – Os Remédios Florais do Dr. Bach: incluindo Cura-te a Ti Mesmo e Os Doze Remédios. São Paulo: Pensamento, 1997. ISBN 85-315-0577-1.

BAILEY, Arthur – O Diagnóstico pela Radiestesia. Lisboa: Estampa, [S. d.]. ISBN 972-33-1080-5.

BARTOLO, Lucia de – Florais de Bach e a virtude de ser mulher. São Paulo: Editora Gente, 1996. ISBN 85-7312-084-3.

BARTOLO, Lucia de – Florais: Vivendo os passos do Dr. Bach. São Paulo: Editora Gente, 1993. ISBN 85-85247.71.1.

BELIZ, J. Malato; CADETE, António – Catálogo das Plantas Infestantes das Searas de Trigo. Lisboa: EPAC, 1982. 2 vols.

BLOESEM Remedies Nederland. http://www.bloesem-remedies.com.

CAMERON, Julia – Deus não é para Brincadeiras. 1ª Ed. Cascais: Sinais de Fogo, 2002. ISBN 972-8541-37-6.

COMENALE, Robertinho – Elixires de Cristais e Essências Florais nas Curas Vibracionais. São Paulo: Editora Roca, 1996. ISBN 85-7241-156-9.

CORPO & Alma: Essências Florais. Porto Salvo: Dieticofarma, [S. d.].

DANNHEISSER, Ilana; Edwards Penny – Homeopatia. Köln: Könemann, 2000. ISBN 3-8290-6838-7.

DESERT Alchemy Flower Essences. http://www.desert-alchemy.com.

DR. Edward Bach Centre. http://www.bachcentre.com.

DRUMMOND, Henry – O Dom Supremo. 1ª Ed. Cascais: Pergaminho, 1994. ISBN 972-711-052-5.

DUQUES, Maria – Os Florais de Bach e as síndromes do feminino. Rio de Janeiro: Record Rosa dos Ventos, 1996. ISBN 85-01-04769-4.

FINDHORN Flower Essences. http://www.findhornessences.com.

FLORAIS de Minas. http://www.floraisdeminas.com.br.

FLORAIS de Saint Germain. http://www.floraisdesaintgermain.com.

FLOWER Essence Pharmacy. http://www.floweressences.com/default.html.

FLOWER Essence Services. http://www.flowersociety.com.

GAWAIN, Shakti – Desenvolva a sua Intuição: um guia prático para o seu dia-a-dia. 1ª Ed. Cascais, 2001. ISBN 972-711-430-X.

GERBER, Richard – Medicina Vibracional: uma Medicina para o Futuro. São Paulo: Cultrix, [S. d.].

HOWARD, Judy – Crescendo com as Essências Florais de Bach: um guia para o uso dos florais durante a infância e a adolescência. São Paulo: Aquariana, 1997. ISBN 85-7217-050-2.

KORTE PHI Essences, Blütenessenzen, Floweressences, Elixirs Floraux, Esencias Florales. http://www.kortephi.com.

KUCHLER, Katia Dubieux; DELBONI, Thais Helena – Terapia Floral de A a Z. Estoril: Formanatur, 2002.

LIVING Light Corporation. http://shop.livinglight.ca.

LOCKIE, Andrew; Geddes, Nicola – Guia Completo de Homeopatia: Os Princípios e a Prática de Tratamento. [S. l.]: Selecções do Reader’s Digest, 1998. ISBN 972-609-148-9.

MARGONARI, Neide – Florais de Saint Germain. Porto Salvo: Dieticofarma, [S. d.].

NIELSEN, Greg – Além do Poder dos Pêndulos. 3ª Ed. Rio de Janeiro: Record, 1998. ISBN 85-01-03618-8.

NIELSEN, Greg; Polanski, Joseph – O Poder dos Pêndulos. Rio de Janeiro: Record, 1998.

OLIVEIRA, Regis – Regis Mesquita Homepage: Terapia Floral. http://geocities.com/regismesquita/index.html.

PELT, Jean-Marie – Os Novos Remédios Naturais. 1ª Ed. Lisboa: Bizâncio, 2002. ISBN 972-53-0168-4.

PINTO, Augusto – O Boticário. [S. l.]: Moderna Editorial Lavores, [S. d.]. ISBN 972-8470-24-X.

PITMAN, Vicki – Fitoterapia: As Plantas Medicinais e a Saúde. Lisboa: Estampa, 1996. ISBN 972-33-1179-8.

RUDD, Carol – Essências Florais. Köln: Könemann, 2000. ISBN 3-8290-6837-9.

SANTOS, Liany Silva dos – O Sexo e as Flores: O uso das Essências Florais no tratamento das disfunções sexuais. São Paulo: Editora Aquariana, 2000. ISBN 85-7217-066-9.

SCHEFFER, Mechthild – A terapia Original com as Essências Florais de Bach: um guia para os médicos e terapeutas, dentro dos conceitos originais do Dr. Bach. São Paulo: Pensamento, [S. d.]. ISBN 85-315-0969-6.

SCHEFFER, Mechthild – Terapia Floral do Dr. Bach: Teoria e Prática. São Paulo: Pensamento, [S. d.].

SEGREDOS e Virtudes das Plantas Medicinais. Lisboa: Selecções do Reader’s Digest, 1983. ISBN 972-609-016-4.

SHAW, Non – Herbalismo. Köln: Könemann, 2000. ISBN 3-8290-6836-0.

SOUSA, Vitorino de – Os Florais de Bach: Gotas para a Alma. 1ª ed. Lisboa: Editorial Estampa, 2001. ISBN 972-331670-6.

STEIN, Diane – Curando com Essências de Flores e Pedras Preciosas. São Paulo: Editora Pensamento, 1999.

SULLIVAN, Karen – Vitaminas e Minerais. Köln: Könemann, 2000. ISBN 3-8290-6840-9.

TAXONOMIA. [S. l.: s. n., s. d.].

TECEDEIRO, Luís António Vaz – Plantas Medicinais do Ribatejo. Alpiarça: Garrido, 1996.

TOBEN, Bob; WOLF, Fred Alan – Espaço-Tempo e Mais Além. 2ª Ed. Porto: Via Optima, 1999. ISBN 972-9360-11-1.

VLAMIS, Gregory – Rescue: Florais de Bach para alívio imediato. São Paulo: Roca, 1992. ISBN 85-7241-040-6.

WALSCH, Neale Donald – Conversas com Deus: Livro 1. 13ª ed. Cascais: Sinais de Fogo, 2003. ISBN 972-8541-05-8.

WALSCH, Neale Donald – Conversas com Deus: Livro 2. 3ª ed. Lisboa: Sinais de Fogo, 2000. ISBN 972-8541-10-4.

WALSCH, Neale Donald – Conversas com Deus: Livro 3. 2ª ed. Lisboa: Sinais de Fogo, 2000. ISBN 972-8541-05-8.

WILDWOOD, Christine – Remédios Florais. 1ª ed. Lisboa: Editorial Estampa, 1994. ISBN 972-33-0959-9.

Como Comprar

Como Comprar

(em construção ou modificação)

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Por favor, siga as instruções disponíveis nas linhas finais do separador 'Introdução'.

Depoimentos

Depoimentos

(em construção ou modificação)

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

« « « início voltar » » »

O 7ºzed - Escola de Reiki ZED de Leiria é a sede física dos Florais ZED, essências florais de Portugal desde 2001
Sede e Endereço Postal: Florais ZED - Centro Comercial D. Dinis, Sala 703 - Av. Combatentes da Grande Guerra - 2400-122 LEIRIA - PORTUGAL
Telefones: 00351 244836160, 00351 938195335               e-Mails: Terapias, Formação e Produtos []
Copyright © 2006-2017 - Francisco Godinho, Leiria.  Web-Designer []
Está absolutamente interdita e sujeita a processo judicial qualquer forma de cópia ou reprodução dos conteúdos das páginas deste sítio
Última modificação desta página: 01/06/17               Visitas desde 01/10/06: contador para blog